Como fazer um crowdfunding para publicar um livro?



Escreveste um livro, queres publicá-lo de forma independente e estás a ponderar fazer um crowdfunding para financiar o seu investimento?


Antes de mais, parabéns! Lançar um livro como autor(a) independente é uma viagem cheia de desafios, mas extremamente enriquecedora. Afinal, os sonhos dão mesmo (muito!) trabalho e dão-nos um especial alento à vida.


Como sabes, publicar um livro requer um investimento inicial para a sua edição e produção. Investimento esse que nem sempre está ao nosso alcance. Contudo, existem diversas formas de angariar o valor necessário, como, por exemplo, através de uma angariação de fundos (também conhecida como crowdfunding).


Mas, afinal, como se faz um crowdfunding para publicar um livro?

Toma nota destas dicas.




1. Anota todas as tuas necessidades.


Para publicares o teu livro, provavelmente vais precisar de recorrer a várias pessoas/entidades:


  • Designer, que vai dar forma e estrutura às tuas palavras;

  • Ilustrador, no caso de livros infantis;

  • Revisor de texto, para rever o conteúdo e detectar possíveis gralhas e/ou incongruências;

  • Gráfica, que vai ser responsável pela produção dos teus livros;

  • Tradutor, caso queiras ter o livro noutras línguas;

  • Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, conhecida como APEL, para fazeres a requisição do ISBN;

  • Sociedade Portuguesa de Autores (SPA) ou a Inspecção Geral das Actividades Culturais (IGAC), caso queiras registar a tua obra.



2. Pede orçamentos.


Depois de anotares todas as tuas necessidades, deves começar a pedir orçamentos para perceber o montante que vais ter de investir para pôr o teu livro no mundo. É importante que dediques algum tempo neste processo, pois os preços são muito variáveis e deves perceber a seriedade e profissionalismo das pessoas com quem pretendes trabalhar.


Começa por procurar a tua "equipa criativa", ou seja, o teu designer, ilustrador e editor. Se não conheces ninguém na área, nem sabes como procurar, podes começar pelo Behance. Faz uma lista das pessoas cujo trabalho te agradou e começa a contactá-las. Explica-lhes em que fase do processo estás, com transparência e honestidade, e tenta perceber a disponibilidade deles para aceitar o teu trabalho.


Dica: Antes de passares para a fase de pedir orçamentos às gráficas, deves conversar com o teu designer para perceber quantas páginas terá realmente o teu livro - mesmo que seja apenas uma estimativa -, bem como quais os materiais que ele recomenda para a produção do mesmo. Isso vai ajudar-te a teres um orçamento mais ajustado à realidade.


Ao contactar as gráficas, envia-lhes um pedido de orçamento com as especificidades dos materiais, número de páginas e número de exemplares bem estipulados. Para além disso, pede os preços das provas de cor e ozalides - vais precisar deles, antes de avançar com a produção final.


No que diz respeito às entidades legais, como a APEL, SPA ou IGAC, podes sempre contactá-las por telefone ou por e-mail, ou ver os respetivos preçários no site.



3. Escolhe a tua plataforma de crowdfunding.

Felizmente, opções não faltam. Entre o PPL, o GoFundMe, o Indiegogo e muitas mais, difícil vai ser escolher.


Cada plataforma tem as suas especificidades. Desde os prazos para angariação, comissões com ou sem o pagamento do imposto incluído, os requisitos a serem preenchidos e os métodos de pagamentos disponíveis, deves explorar as potencialidades de cada plataforma e ver qual mais se adequa às tuas necessidades.


Por outro lado, também podes organizar a tua própria angariação de fundos. Contudo, é mais provável que apenas os teus amigos e familiares contribuam, e que seja mais difícil chegar a mais pessoas.


Faz uma pesquisa aprofundada e escolhe a plataforma com que mais te identifiques e que tenha mais potencial para os teus objetivos. Por exemplo, deves ter atenção aos métodos de pagamento disponíveis, pois podem fazer a diferença na disponibilidade das pessoas contribuírem para o teu projeto.



4. Define o valor que pretendes angariar.

Faz uma estimativa do valor de que precisas, com base nos orçamentos dados e na percentagem que vai para a plataforma e impostos.


Pondera a viabilidade do montante que pretendes pedir, pois quanto mais elevado, mais desafiante é conseguir angariar esse valor. E tem em consideração o prazo de angariação dos fundos, pois algumas plataformas devolvem os donativos se não for atingida a totalidade do valor, no prazo estipulado.



5. Dá-te a conhecer. A ti e ao teu projeto.


Prepara alguns textos para explicar o teu projeto: um resumo do teu livro, a tua história pessoal (se fizer sentido para o projeto), para o que se destina o dinheiro angariado especificamente.


Resumidamente, a tua história com o teu livro. E até onde pretendes chegar.


Dica: Conta a tua história de forma clara, transparente e humana. Acima de tudo, sê autêntico/a. As pessoas sentem mais vontade de te ajudar se sentirem empatia contigo ou com o projeto. Se possível, prepara um vídeo onde mostras quem és e falas sobre o que te levou a fazer um crowdfunding.



Livro publicado com a ajuda de mais de 170 pessoas. Fotografia por: Andreia Carvalho

6. Prevê recompensas.

As recompensas são uma contrapartida que ofereces às pessoas que contribuem para a tua angariação de fundos, como forma de agradecimento pelo seu donativo. Estas recompensas podem ser aliciantes para quem pretende contribuir e, quem sabe, podem fazer a diferença no montante doado.


Prevê diferentes recompensas para cada nível de donativo. Para valores menores, pensa em recompensas para pessoas individuais. Para donativos maiores, que podem vir de uma empresa, prevê recompensas mais adequadas ao que podem pretender ganhar com o seu donativo - como por exemplo, o seu logótipo no teu livro.



7. Espalha a palavra.


O grande segredo do sucesso de um crowdfunding está na capacidade de seres um(a) verdadeiro/a chato/a. True story.


Isso e de, à partida, já teres criado boas relações ao longo de toda a tua vida.


Usa as redes sociais para aquilo que elas têm de melhor: chegar às pessoas. Conta a história do teu projeto, mostra que é um grande sonho teu e que elas podem fazer toda a diferença. Pede aos teus amigos e família para contribuírem e partilharem nas suas redes sociais.


Mas não te fiques pelos posts e stories. Envia mensagens diretamente às pessoas, mesmo aquelas que já não vês há 10 anos. Quem sabe se não terás uma boa surpresa? :)


E não te esqueças, todos os donativos contam, sejam de 1€, sejam de 100€.

Sê grato/a a todos, sem excepção.


Dica: Se puderes esperar por uma data perto do teu aniversário, as pessoas têm mais tendência a ser generosas e a oferecer-te essa prenda ;)



8. Não desesperes.


Diz-se por aí que a tendência no crowdfunding é que a grande parte dos donativos sejam realizados nas primeiras duas ou três semanas, e que a maior parte deles venham de amigos e familiares.


É provável que, dependendo do montante que pedes, dês por ti a sentir que não vais conseguir mais donativos. Mas não desesperes.


Envolve os teus amigos e família, para que vivam este sonho contigo e sintam que podem fazer a diferença. Incentiva-os a partilhar nas suas redes sociais e a falarem do teu projeto aos seus amigos.


Grão a grão, conquista-se um sonho com a ajuda de todos.



9. Prepara-te para concretizar o teu sonho


Depois de atingires a totalidade do valor que precisas para editar o teu livro, mete mãos à obra. Fala com a tua equipa, para começar a dar forma ao teu sonho. Envia um e-mail a todos os que contribuíram para o crowdfunding, agradecendo e informando sobre possíveis datas de lançamento, e cumpre com as tuas promessas (ou seja, recompensas).


E prepara-te para algumas dores de cabeça: conquistar sonhos dá muito trabalho, mas vale bem a pena ;)



Partilha a tua experiência ou questões nos comentários e subscreve a newsletter para receberes mais artigos como este, diretamente no teu e-mail.

0 visualização

©2018 by Margarida Porto. Proudly created with Wix.com