Que tipos de editoras existem? Uma breve explicação.



Na hora de publicar um livro, o processo de escolher uma editora pode ser determinante para o seu sucesso. Contudo, para quem não conhece bem o mercado editorial, tentar perceber como funcionam as editoras pode tornar-se confuso.


Por isso, conversei com alguns autores e editoras, para poder organizar as ideias numa breve explicação.



Editoras Tradicionais


As editoras tradicionais são, geralmente, as mais conhecidas no mercado. E, por isso, também menos acessíveis a novos autores com pouca visibilidade.


Nestas editoras, o autor cede os seus direitos de exploração da obra, assinando um contrato sobre o qual receberá uma comissão (geralmente entre 8% e 10%, podendo ser mais, dependendo do acordado em contrato) sobre o valor de venda do seu livro. Contudo, não terá de fazer nenhum investimento, pois todos os custos de edição, distribuição e promoção da obra ficam a cargo da editora. Para além disso, o autor conta com uma equipa de profissionais especializados e com experiência no mercado editorial.


Em contrapartida - dependendo do que é acordado em contrato -, o autor pode perder a liberdade e o controlo sobre a sua própria criação, sendo também possível que o editor sugira alterações para tornar a história mais atrativa comercialmente.


O maior desafio em publicar com editoras tradicionais prende-se com o facto de fazerem uma seleção muito rigorosa das obras, face ao elevado número de originais que recebem. Neste sentido, este tipo de editoras tende a apostar em autores que já tenham visibilidade junto do público, pois têm maior probabilidade de ter retorno financeiro.


Recomendação para quem gostaria de publicar com uma editora tradicional: Trabalha a tua visibilidade, como autor e, se fizer sentido, com a tua obra (com excertos, por exemplo). E, quando conseguires, não te desleixes. Apesar de a maior parte da responsabilidade estar a cargo da editora, o livro foi escrito por ti e a sua publicação é um trabalho em conjunto.




Editoras Vanity


As editoras vanity são editoras que assumem a responsabilidade da publicação da obra - desde a edição à sua distribuição -, pedindo ao autor que dê uma garantia para cobertura dos custos, geralmente com a aquisição de um determinado número de exemplares.


À semelhança das editoras tradicionais, nas editoras vanity, o autor cede os seus direitos de exploração da obra, recebe uma comissão sobre as vendas e conta com o acompanhamento de especialistas no mercado.


A maior vantagem das editoras vanity é a sua acessibilidade. É pouco provável que vejas o teu livro a ser recusado por uma editora deste tipo. Contudo, é recomendável clarificar responsabilidades, direitos e ganhos de cada uma das partes, para evitar desilusões.


Importa ressalvar que, apesar de as editoras vanity serem responsáveis pela distribuição, podem não assumir responsabilidades a nível de marketing e publicidade do teu livro. Ou seja, o sucesso do teu livro continua a depender muito de ti.


Recomendação para quem gostaria de publicar com uma editora vanity: Antes de contactares as editoras, tenta conhecer outras pessoas que já tenham publicado livros com editoras vanity e perceber as suas experiências.




Nota importante:


Com a evolução dos tempos e os novos desafios do mundo literário em Portugal, as editoras têm vindo a expandir horizontes e a adaptarem o seu modelo de trabalho. Por isso, não é estranho ver uma editora a adotar ambos os métodos de edição, consoante o potencial da obra que recebem.



E agora? É só escolheres a(s) editora(s) e enviares o teu manuscrito.


Partilha a tua experiência nos comentários e subscreve a newsletter para receberes mais artigos como este, diretamente no teu e-mail.

0 visualização

©2018 by Margarida Porto. Proudly created with Wix.com